LIVRO TREZE ON-LINE!
Pronto, funcionando, em CCDB Livros, ao seu dispor!

saiba mais

 

O “INDISPENSABILÍSSIMO”* LIVRO TREZE DE GÉA com uma seção essencial, para o editor, sobre a leitura de Géa! - see this same page in English.


*O termo "indispensabilíssimo" refere-se tão-somente à necessidade de o Livro Treze ser publicado junto com a obra "Géa". Isso NÃO significa que "Géa" não possa ser lida sem a ajuda do Livro Treze ! GÉA PODE SER LIDA, SIM, SEM O AUXÍLIO DO LIVRO TREZE, conquanto seja recomendado não apenas o recurso ao Livro Treze como até mesmo a sua leitura completa.

A página de apresentação do Livro Treze é primeira página em pesquisa do Google entre quase SEIS MILHÕES DE OCORRÊNCIAS para as palavras "Capas Livros", juntamente com a capa do Livro Oitavo de Géa Ilustrada, superando, entre outras a Harry Potter!

Cogitemos, sim, dificuldades! Aqui não se temem ardidos tabus, que sou pajé!

 

A minha maior dificuldade com os editores que vão interessando-se em publicar-me a obra superna é explicar-lhes a indispensabilidade e o valor do empolgante Livro Treze de Géa.

Porém, dificuldades são úteis e viram vantagens: transformemo-las hic et nunc! Inclusive porque... Meus livros são os únicos que fazem sucesso antes mesmo de serem publicados!

À primeira vista, o Livro Treze é um trambolho inútil que contém o "Glossário Geóctone" e o "Rarefeito Dicionário de Palavras Raras", além de listas de personagens, naves, músicas, danças, estatísticas da obra, parte de "Geadágio" e vários anexos, conteúdo inteiro esse o qual apressadamente as pessoas tendem a chamar de "dicionário" (...), fácil sinônimo, no Brasil analfabeto, de "trambolho inútil, caro e difícil de publicar".

O Livro Treze, todavia, é quem "demonstra a seriedade da obra"! E tal afirmação não é minha; sim, da poeta (que prefere o termo a "poetisa") premiada e editora Mirian Paglia Costa.

Elaborando o Livro Treze, aprendi muito: levei três anos só para escrevê-lo. E o resultado desse aprendizado iluminou-me os livros de texto.

Durante a escrita do Livro Treze; ao descobrir a acepção e o emprego corretos de cada palavra no texto de Géa; consultando dicionários, gramáticas e os clássicos; percebi quantas delas eu aplicara mal e, assim, fui substituindo-as por melhores, o que aprimorou ao extremo a qualidade do texto e o tornou exatamente aquilo que eu quis dizer.

O trabalho dessa descoberta, dessa viagem na língua portuguesa, transformou-se no Livro Treze, extremamente útil para o estudo da Leitora, do Leitor, de Géa. Útil outrossim ao estudante e ao mestre que aproveitem a magna obra, cujo texto cresce adrede em complexidade - e em beleza e conteúdo - ao longo dos doze livros onde a história é narrada. Com o Livro Treze, Géa é o que há de didático!

Não se há que perguntar (como certo amigo meu, pasmo coa dimensão e o conteúdo de Géa): "Se Dom Quixote, de Cervantes, fosse escrito hoje, seria publicado?"; sim, o que pergunto eu: "Se Dom Quixote, de Cervantes, fosse escrito hoje, seria possível imaginá-lo NÃO publicado???". E Géa supera em muito Dom Quixote.

O Livro Treze contém ainda, em cada verbete, não apenas a acepção do vocábulo ali apresentado; sim, a explicação do seu uso no texto, da sua justificativa gramatical e também uma dissertação sobre a minha maneira de interpretar-lhe o significado. Há verbetes que ocupam, cada qual, várias páginas, com pensamentos, conceitos e esclarecimentos sobre a palavra verbetada e a sua relação coa obra inteira, que ela mesma ali se aclara e expande: por isso o Livro Treze é também chamado "O Relacionador".

O "Glossário Geóctone" explica as palavras alienígenas e os meus (bons) neologismos, que nada têm de vício e permearão nossa língua "enceradeiramente" louca... a darem-nos "pressaudade" do porvir. O próprio texto de Géa vai sugerindo, pela maneira programada como aparecem, a acepção dos vocábulos extraterrestres - mas a confirmação é indispensável, gratificante e está no Glossário Geóctone, com muitas outras ramificações, inexploradas no texto.

O Rarefeito Dicionário de Palavras Raras, no Livro Treze, é uma tremenda aventura na solitude ignota da Língua Portuguesa. Ali se aprende! como eu aprendi.

Conquanto SEJA possível ler Géa sem o auxílio do Livro Treze, é melhor fazê-lo COM, inclusive porque não há maior e remelhor delícia do que ler a dois: um lê em voz alta o livro de texto; o outro consulta o Livro Treze. Géa tem uma beleza imensa no SOM de sua leitura! E de SOM este autor amodestamente entende. Você pode ler na página Opiniões sobre Géa a opinião de Zé Oliboni sobre o SOM da leitura. E pode formar a sua própria opinião, lendo Você gosta poesia?

No formato de livro eletrônico, abre-se rápido um livro de texto mais o Livro Treze ao mesmo tempo na tela; mas as minhas considerações, nesta página, referem-se a livros impressos.

Pode ser boa idéia para o editor ofertar o Livro Treze em formato eletrônico (num CD, por exemplo) para substituir a sua versão impressa e acompanhar os livros impressos de texto. Embora os aparelhos chamados de "e-books" inda quase não se usem no Brasil e tampouco se mostrem flexíveis e práticos feito deveriam, estão cada vez mais presentes, e existe outrossim o computador ou o laptop, apto a apresentar o conteúdo do CD.

O autor ACEITA, portanto, que o Livro Treze seja publicado na forma de CD, para ser fornecido com o primeiro livro da série (normalmente seria o Livro Primeiro) adquirido pelo Leitor; por exemplo, como brinde, para o Leitor que compre a obra completa. Um CD facilitaria muito a produção do conjunto de livros que formam a obra Géa, pois o Livro Treze é o de maior número de páginas (mil páginas) e deveria ser acessível pelo Leitor para melhor compreensão dos doze volumes de texto.

Um CD seria proveitoso, outrossim, para acompanhar TODOS os livros da obra, mas contendo as ilustrações, as animações e até mesmo Géa completa em formato eletrônico. Nesse caso (da obra em formato eletrônico, livros em PDF), o editor de tal CD poderia criar um programa que automatizasse a consulta ao Livro Treze, a partir de clicar-se qualquer palavra de um dos livros de texto. Essa automatização NÃO deve ser feita por meio de links nos livros de texto (cujos arquivos se dilatariam demasiado); sim, igual se usa nos dicionários eletrônicos, via banco de dados em que se transformaria o conteúdo do Livro Treze. Este então poderia abrir-se a partir de QUALQUER palavra em qualquer texto - e não apenas nos dos livros da obra à qual pertence.

LIVRO TREZE ON-LINE!
Pronto, funcionando, em CCDB Livros, ao seu dispor!

saiba mais

O dicionário eletrônico poderia ser de outro tipo - imagino que inventado aqui e agora - um "dicioáudio" no qual a palavra a pesquisar fosse pronunciada ou (melhor) soletrada em voz alta pelo Leitor, a Leitora; e só então se abriria uma janela na tela do computador (ou e-book, etc.) apresentando o respectivo verbete. Isso evitaria a presença da janela do dicionário aberta junto com a do livro de texto na tela, ou algum ícone que disparasse a janela. Se o computador possuísse alto-falantes ou fones, a resposta do dicioáudio poderia ser sonora, eliminando a ocupação de espaço com texto de verbetes na tela. A desvantagem de um dicioáudio seria a impossibilidade da leitura em voz alta (o que no entanto é raro). Para contornar tal desvantagem, o dicioáudio teria o recurso de se apresentar como os dicionários eletrônicos normais, abrindo-se em janela própria ou por meio de ícone na tela e aceitando comandos digitados.

NOTA DE CCDB EM DEZEMBRO DE 2011: O LIVRO TREZE ON-LINE JÁ ESTÁ PRONTO PARA SER USADO, EM CCDB LIVROS, AO SEU DISPOR!

saiba mais

O Livro Treze possui mais caracteres que o conjunto completo dos doze livros de texto, e nenhum desses caracteres é supérfluo. Se tem apenas mil páginas, é porque a fonte é de tamanho reduzido, bem como as margens das páginas.

A segunda dificuldade que os editores têm é com Géa em geral: dão uma leitura rápida no Livro Primeiro, sem se conscientizarem de que Géa não é uma coleção de livros; sim, uma única e indivisível história: Géa é um só livro. Isso é o que o editor precisa saber antes de qualquer análise. E o Livro Treze inclui-se nessa unidade. Só a leitura integral da obra pode levar a uma idéia perfeita de seu valor para a publicação; mesmo assim cedi às solicitações de editores e criei a página Resenha e público-alvo, para dar-lhes um mínimo relance.

Quem lê rápido e apenas o Livro Primeiro de Géa surpreende-se em ver muitos começos, aparentemente esparsos e sem nexo, porque está acostumado a ler, num volume de duzentas e cinqüenta páginas, uma história com princípio, meio e fim. Ora! o Livro Primeiro é tão-somente a trezena parte do Livro Único chamado Géa! Imagine-se lendo somente vinte páginas de uma obra completa com duzentas e cinqüenta e terá a perspectiva exata do que terá lido de Géa ao terminar o Livro Primeiro: a tércio-décima parte! Além disso, o crescimento da "ação visível" na obra suprema é acinte exponencial: imita a decolagem da Laranja, o disco voador de Clausar.

Por isso mesmo, a leitura dos primeiros livros é uma ambientação propositada da Leitora, do Leitor, do Editor (...) com um clima assaz vago, com um mergulho hipnótico no desconhecido, com um transe, com a desorientação num mundo longíquo e sem mapas, com mil e dois portais para mil e três histórias, com sendas mil, com uma despersonalização lisérgica... que se estrutura, e concatena, e coalesce perfeita! nos livros intermediários e mapeia o contraste necessário para o realismo do movimento explosivo e cinematográfico subseqüente. E o Livro Treze é o mapa... que será consultado antes, durante e empós a viagem; que inter-relacionará todos os fios multicolores do tecido e perspectivar-lhe-á o impressionador e transfinito fractal.

Ávido de "ação visível" ou "sensual" (respeitante aos sentidos físicos), quem lê o Livro Primeiro não sabe que "no invisível" se desenrola extrema ação, a "supersensível" (superior à ação dos sentidos físicos) exatamente enquanto se percebem aqueles vários começos e o clima vago da "ação visível".

Géa possui várias esferas ou níveis de ação, porém o meio chamado "livro" exige a seqüência linear da leitura. Somente ao longo desta é que a Leitora, o Leitor, o editor será posto em contato com as outras esferas, gota a gota, colher a colher, até que procelosamente se lhe abata um dilúvio sobre a consciência, um vórtice multidimensional, no desfecho da obra. Então... muitos quererão relê-la! e relê-la-iam até ao inverso, ou em sentidos de direções que nem a teoria das branas comporta! por uma porta entrariam e por muitas sairiam! e transportados retornariam, se pudessem! e pedirão por MAIS... e MAIS é o livro chamado )que(. E além do MAIS existe Geínha! Sem falar no Livro Treze, que também pode ser lido, em vez de apenas consultado.

Quanto à qualidade de Géa, a página campeã de visitação neste site surpreenderá o mais descrente dos literatos, o mais desanimado dos editores. Não venho escrevendo tal página com o objetivo de demonstrar essa qualidade, mas a relação ali urdida com as obras de grandes autores o faz por mim.


Amostra do Livro Treze - este link abre uma amostra do Livro Treze em PDF (Portable Document File), para ser lida com a versão 5.0 ou superior do Adobe Acrobat Reader (que você pode baixar grátis do site da Adobe). Para baixar ao seu computador a amostra do Livro Treze use o menu do Reader; não, o do browser.

Note, por favor, que, para facilitar a consulta do Glossário Geóctone e do Rarefeito Dicionário de Palavras Raras a partir de um livro de texto aberto ao mesmo tempo no Reader, os cabeçalhos dessas partes do Livro Treze são respectivamente apresentados em caracteres normais (Glossário) e itálicos (Dicionário). Você pode abrir um (ou mais) dos livros de texto de Géa no Reader e também abrir, ao mesmo tempo, o Livro Treze, reduzindo a janela deste último em relação à janela do livro de texto e rolando as páginas do Glossário ou do Dicionário com a atenção voltada aos cabeçalhos, que apresentam graúdos os caracteres iniciais da primeira e da última palavra da página onde se encontram. Se o programa de banco de dados supracitado for produzido pelo editor, a consulta será inda mais fácil.

Note outrossim, por gentileza, que o Livro Treze tem MIL páginas; portanto, esta amostra visa tão-somente expor o aspecto gráfico e dar um gostinho do conteúdo. Na amostra NÃO se incluem os anexos com as listas de personagens, lista de naves, etc., que sobremaneira enriquecem a obra.

COM O LIVRO TREZE ON-LINE A CONSULTA É MUITO MAIS RÁPIDA! ELE É MAIS COMPLETO QUE O LIVRO TREZE EM PDF E ATUALIZADÍSSIMO!

saiba mais


Capa do Livro Treze - para voltar a este ponto use a seta do browser.


Curiosidade?

A palavra "que" não consta senão uma vez da obra Géa: é portanto um hápax e se acha no fim da última linha do derradeiro livro de texto. A ausência de "que" INCLUI o Livro Treze! Experimente escrever um dicionário de mil páginas e caracteres pequenos (ver amostra) sem utilizar essa palavra! O hápax não é, pois, simples curiosidade; sim, homenagem à língua portuguesa, porquanto estonteia a Leitora, o Leitor, quando descobrem o imenso valor de vocábulo tão minuto; e se há algum digno de tal destaque em obra tamanha, o meu hápax é aquele que*.


Treze - o número da sorte!

Se eu cresse em sorte, diria que tenho tido uma sorte imensa coa estrondosa repercussão deste site e, portanto, da minha obra. Porém... sorte não existe. O que há é TRABALHO. Quem faz nossa sorte, nosso destino, somos nós mesmos.

Quanto ao número Treze, Géa tem adrede treze livros porque os doze de texto simbolizam os doze graus da evolução na Senda Mística; e o décimo terceiro representa a transcendência, justamente alcançada pelo portal entre o objeto, o texto, e a substância, a palavra. O Livro Treze é o portal para a substância, na essência da palavra!

Convido, pois, o editor a cruzar comigo esse portal e publicar - sem coragem alguma porque perigo não há, mas com a mesma certeza minha - os Treze livros de Géa.


* a ausência do acento circunflexo na palavra "que", estando esta no término da frase é proposital, porquanto me soa melhor, já que existe, na mente de quem lê, o som do verbo inescrito "há" logo empós. A derradeira palavra no último livro de texto de Géa é "que", seguida de um ponto final e sem o acento circunflexo aparentemente exigido pela gramática. Isso acontece porque tal palavra - nesse caso específico - é nome próprio (portanto, invariável) e não se afeta coa posição na sentença: é o nome da menor partícula do universo, que tem tudo de minúsculo, inclusive a inicial. O último vocábulo do livro chamado )que( é um "que" seguido de reticências e outrossim livre do acento circunflexo. Neste caso, as reticências indicam uma frase interrompida ao meio e, conseqüentemente, tal "que" não se acha, em verdade, no verdadeiro fim. A dicção postrema do último livro de Geínha é também um "que" seguido de reticências; e, da mesma forma, uma frase quebrada; assim, não a acentuei por idêntico motivo. Tudo isso não só demonstra a minha rebeldia construtiva, como acima de tudo o engano das aparências, revelando que em meus livros cada detalhe tem razão de ser e estadeando o meu cuidado com minha obra, a qual abrange vários níveis, máxime aqueles ocultos aos olhos do apressado...

Conheça aqui o objetivo deste site e a opinião de um amigo sobre o site e a leitura de Géa.

Conheça aqui outra opinião de amigo sobre a leitura de Géa, que se transformou ao saber melhor o que Géa é.


- CCDB 13-05-2006

- Página atualizada por CCDB em 22-03-2008, em 12-10-2010 e em 03-12-2011


The Book Thirteen (esta mesma página em inglês - this same page in English)



 

 

Há sempre novidades nas páginas deste site CCDB - Géa, cujo conteúdo supera o do Kama Sutra e o da Capela Sistina. Aqui você verá pouco de Mutantes; algo de Guitarra de Ouro, caixas acústicas, áudio, Nova Eletrônica, gravação, sonorização, árvore genealógica; e até extraterrestre pelada em nu artístico, nada pornô - mas o foco é CCDB Livros. Você vê ilustrações em computação gráfica 3D, animações, literatura, apostila de xadrez e mais. CCDB, marca registrada, é a sigla composta pelas iniciais do escritor Cláudio César Dias Baptista. CCDB Livros é o único lugar onde você pode ler os livros de autoria de CCDB e RDB, em especial "Géa", cujo léxicon é duas vezes o de William Shakespeare em toda a sua obra e seis vezes o de Camões em "Os Lusíadas" e cujo conteúdo vai de sexo até misticismo e não aceita rótulos. Você pode ler "Géa", ")que(", "Geínha", "CCDB - Gravação Profissional", "Xadrez: Regras, Dicas e Dez Mandamentos" e outros on-line em iPad, iPhone, iPod, tablet, laptop e qualquer computador.

Se já entrou numa página convém mandar o browser recarregá-la após abri-la, porque vários browsers não atualizam as páginas sem esse comando e só mostram as cópias armazenadas nos arquivos temporários do seu computador.

Este site possui mais de duas mil páginas HTML (afora dez mil páginas HTML e PHP dos livros em CCDB Livros), além de sete mil outros itens. Conheça-o melhor pelo Acesso Normal, ou via Página Principal, ou pelo rápido Acesso às páginas mais visitadas.


Por que utilizo os serviços do Google?